21 de abril de 2014

Tireóide, problema também para os pets

 

Ganho de peso, alterações na pelagem Alerta do Dr. Marcelo Quinzani.

 

Hormônios também são essenciais para a harmonia no funcionamento do organismo dos animais e desequilíbrios hormonais, localizados na glândula tireóide são os mais comuns para os cães. “Os hormônios tiroxina (T4) e triidotironina (T3), são produzidos pela glândula tireóide, localizada no pescoço em ambos os lados da traquéia”, explica o Marcelo Quinzani, Diretor Clinico do Hospital Veterinário Pet Care. “Os hormônios tiroidianos influenciam o metabolismo de importantes funções do corpo como frequência cardíaca, controle da temperatura corporal e funções mentais. A deficiência desses hormônios leva à diminuição da taxa metabólica com redução na velocidade do trabalho das células.”

 

Causas e sintomas

 Vários são os fatores que levam à redução dos níveis dos hormônios tiroidianos e provocam  hipotiroidismo, explica Quinzani: “Inflamações na glândula, falha crônica com atrofia, por exemplo e, em casos raros, tumores podem ser os responsáveis pela diminuição da secreção desses hormônios”.

Quinzani lembra que “é comum os donos de cães esquecerem que várias funções do organismo de seu animal são comuns às suas e podem sofrer alterações. Por isso muitas vezes o animal apresenta sintomas de problemas hormonais, por exemplo, e o proprietário não tem idéia do que está causando as alterações.”

 O médico veterinário explica ainda que os sintomas mais comuns do hipotireoidismo são ganho de peso, intolerância ao frio, sonolência ou apatia e uma variedade de alterações na pele ou nos pelos. “As alterações cutâneas mais comuns são perda de pelos, mudanças na cor e qualidade do mesmo e predisposição a infecções cutâneas. Os sinais menos comuns incluem alterações reprodutivas e neurológicas”, alerta.

 

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico de hipotiroidismo é feito dosando a concentração dos hormônios tiroidianos (T3, T4 e T4 livre) no sangue. Se as concentrações desses hormônios estiverem baixas, outros testes podem ser realizados para determinar se a diminuição é por problema na tiróide ou por outras doenças ou medicamentos. “É preciso estar atento a animais que apresentam alterações de peso mesmo quando uma dieta balanceada é mantida. É importante sempre buscar atendimento veterinário em locais que possuam estrutura adequada para solicitar ou oferecer exames laboratoriais necessários para diagnosticar quadros como o de hipotiroidismo.”

 O hipotiroidismo é mais comum em cães de médio e grande porte e muito raro em gatos. As raças predispostas a apresentar o problema são: Labrador, Golden Retriever, Dobermann, Boxer, Cocker e Sheepdog. “Todas as patologias apresentam raças mais ou menos propensas e não há explicação genética para esse fator”, destaca Quinzani. “Os estudiosos acreditam que é uma característica dos cruzamentos e da seleção natural que aconteceu ao longo dos anos.”

Quinzani esclarece ainda que a doença pode ser facilmente tratada com medicação oral e geralmente as alterações provocadas por ela começam a melhorar após as duas primeiras semanas de cuidados. “Na maioria dos casos, o tratamento e acompanhamento do animal que apresenta hipotiroidismo são mantidos pela vida toda.”

Patrocinio






Recado
Anjos de um minuto
Ele avançou com dificuldade e, então, percebeu. A mulher seguia ao lado

Somando forças
Um ano cheio de surpresas, este que deixamos para trás. A natureza em fúria deixou penosas lembranças

Cumpra sua lista. Sempre há tempo
Novo ano. Sempre é hora de revisar comportamentos e tomar rumo certo

Quando pensar faz mal
Às vezes surpreendo as pessoas afirmando que pensar racionalmente

© 2013 Vidaintegral Ltda.