21 de novembro de 2014

Prazeres na Terceira Idade

  "Melhor é usar recreação que usar remédio.

  " Jimmy Carter, 39º Presidente dos Estados Unidos, já próximo aos oitenta anos, recebeu em 2002 o Prêmio Nobel da Paz.

  Ele nos enriqueceu com seus profundos ensinamentos, concentrados num pequeno volume de 106 páginas, editado pela Rocco, com tradução primorosa de Mauro Pinheiro - "As virtudes do envelhecer".

  O livro é de 1998, mas poderia ter sido escrito em qualquer época do nosso período contemporâneo e para qualquer pessoa que queira aprender a envelhecer com dignidade. Lendo-o, vamos tomando conhecimento dos benefícios que podemos desfrutar e do que temos a oferecer aos outros, à medida em que progredimos em anos. É evidente que ocorrem mudanças em nossa saúde com o passar dos anos.

  O que se pode fazer é procurar um médico, para que aconselhe na mudança de hábitos, dietas e exercícios. Poderá solicitar exames preventivos de câncer de pele, mama, colo do útero, intestinos e próstata, que já devem ser realizados antes dos 45 anos, principalmente se houver algum membro da família que faleceu de câncer. É necessário ainda seguir outras recomendações, como não fumar e fazer caminhadas diárias de meia hora ou mais.

  A maioria das pessoas passa a vida envelhecendo, ao invés de amadurecer. Envelhecemos quando achamos que estamos velhos, quando aceitamos uma atitude muitas vezes ditada pelos outros, o que não corresponde exatamente ao número de anos que de fato temos. Qualquer pessoa que tenha planejado o que fazer após a aposentadoria certamente não sentirá os anos e o tempo passará como mágica.

  A experiência pessoal narrada por Jimmy Carter vem ao encontro do que temos escrito sobre o que devemos fazer após a aposentadoria, no sentido de estimular uma vida plena e saudável: fazer um trabalho voluntário, participar de agremiações, viajar, ir a concertos, aprender a tocar um instrumento, ler, praticar jardinagem, comparecer a festas e dançar. Neste século XXI - observa Carter - estamos expostos a quinze vezes mais conhecimentos do que Aristóteles no seu tempo.

  Em seu livro Carter afirma que "é melhor usar a recreação para preservar a saúde do que usar remédios e tratamentos para recuperar a saúde. Isso é verdade tanto para o bem estar físico quanto mental.

  " No que se refere ao interesse sexual, diversos estudos da Universidade de Duke comprovaram que a atividade sexual permanece além dos setenta anos. O Viagra e outros medicamentos têm auxiliado muito, inclusive os diabéticos.

  Ã€ medida que envelhecemos devemos continuar na busca da felicidade como principal meta. Não é preciso riqueza, fama ou prestígio para se demonstrar gentileza, honestidade, paciência, generosidade e, naturalmente, um pouco de resignação pelo passar dos anos.

  " O homem nunca é velho enquanto estiver buscando alguma coisa", já dizia Jean Rostand.

  O Dr. Luiz Freitag é geriatra em São Paulo, co-fundador da seção São Paulo da Sociedade Brasileira de Geriatria. email: lvfreita@uol.com.br

Patrocinio






Recado
Olá, aqui vai uma novidade para você!


Anjos de um minuto
Ele avançou com dificuldade e, então, percebeu. A mulher seguia ao lado

Somando forças
Um ano cheio de surpresas, este que deixamos para trás. A natureza em fúria deixou penosas lembranças

Cumpra sua lista. Sempre há tempo
Novo ano. Sempre é hora de revisar comportamentos e tomar rumo certo

Quando pensar faz mal
Às vezes surpreendo as pessoas afirmando que pensar racionalmente

© 2014 Vidaintegral Ltda.